segunda-feira, 12 de março de 2012

Saudades do meu pai

Ando meio sumidinha né? Vou passar ainda hoje retribuindo as visitas e confirmando as parcerias ok?
Hoje dia 12 de março faz 15 anos que perdi o meu pai. É um dia pra reviver a minha história, pois meu pai foi o gerador de uma família de 6 filhos, um tanto quanto problemática por conta da bebida alcólica. Eu lembro que quase todos os finais de semana havia uma confusão lá em casa, meu pai bebia e sempre sobrava pra minha mãe. Nós a defendíamos é claro, eu chamava a polícia e mais uma vez meu pai ia para o xadrez esperar a cachaça passar pra retornar pra casa. A polícia já o conhecia, o levavam, colocavam em uma cela pra dormir e pela manhã o soltavam. Ele voltava pra casa desconfiado e prometia que não ia mais acontecer, até que chegava o próximo final de semana e tudo se repetia. Ele por muitos anos foi a única pessoa que sabia consertar as máquinas de arroz da agricultura e ganhou muito dinheiro com isso. Mas nunca conseguiu ter mais que uma bicicleta pra andar, pois todo seu dinheiro sumia mesmo antes de chegar em casa. Ele não nos batia, apenas ameaçava e todos nós já morríamos de medo. Nessa época deixamos de ter respeito e passamos apenas a ter medo de nosso pai.
Mas nós tínhamos esperança de que isso um dia acabaria da melhor forma. Pensávamos que ele deixaria de beber, sei lá. Era impossível, mas acreditávamos nisso. Ele nunca foi ao médico, odiava essas coisas. Frequentou a escola até a 4 série, mas fazia contas melhor do que ninguém. Era pedreiro, carpinteiro, trabalhou no Ibama, Sec. de Agricultura e vários outros setores.
No dia 11 de março de 199, eu ainda estava com 14 aninhos, meu pai bebeu e voltou pra casa sem a minha bicicleta, gerando então mais uma briga em casa. Minha irmã mais velha e eu brigamos com ele, todos já estavam cansados de passar por aquelas situações desagradáveis de entregar as coisas nas mãos de meu pai e ele perder ou deixar roubar na rua. Cobramos dele os vale-transportes, que eu usava para ir de ônibus para a antiga Escola Técnica Federal de Roraima (que agora é o Instituto Federal de Roraima, onde eu faço minha licenciatura) e também os vales-alimentação. Cedinho no dia 12, enquanto eu me vestia para ir à escola meu pai saiu sem ao menos dizer tchau, já que estava chateado pela noite anterior. Fui pra escola normalmente e lembro que às 10 horas da manhã me chamaram na sala da psicóloga (uma estúpida por sinal) e me deram a notícia que meu pai havia sofrido um acidente e acabara de falecer.
Mesmo com tantos problemas, não há como não sofrer. Um amigo do trabalho de meu pai foi quem me pegou na escola para me levar para casa e sem saber o percursso acabou passando pelo local do acidente onde meu pai ainda estava estirado no chão coberto por uma lona de cor azul. Não lembro de ter visto o rosto do meu pai, sei que vi os pés e os vales-transporte espalhados por toda a rua.
Não adianta, perder alguém o mundo cai! Eu me senti derrotada... Na autópsia o médico pode constatar que meu pai tinha um câncer no pulmão que estava totalmente avançado e que somente um pulmão funcionava e muito mal, que lhe daria apenas alguns meses de vida, com sofrimento e dor.
Eu acredito que Deus, apesar de tudo que meu pai aprontava, quis aliviar essa dor. Sem falar que apesar da dor da perda todos nós pudemos descansar das brigas, das confusões, de polícia... Entendem o que eu estou falando né?
Não desejávamos que nosso pai morresse, lógico que não, mas queríamos viver em paz.
Acho que Deus não viu outra solução, foi doloroso ao mesmo tempo que tranquilizante.
Gostaria que meu pai tivesse mudado, que ainda estivesse conosco mas fosse outra pessoa.
Apesar de tudo, SINTO SAUDADES DE VOCÊ MEU PAI!!
15 anos que se foi, mas continua existindo dentro de nós. Não importa mais o que aconteceu, pois ainda assim foste o NOSSO PAI!!!!

7 comentários:

Deolinda Gandra disse...

oi tudo bem? a vida é assim mesmo, temos que aprender a viver com todos os degostos que ela nos tras. beijinhos e muita força. boa semana

Isaura Mirela disse...

Oi amiga, que Deus conforte o coração de todos de sua família neste dia tão difícil.

Xeruuuuuuuuuuu

Leninha disse...

Amiga querida,

Seu pai está bem agora...e não se culpe,amiga,vocês eram apenas crianças que precisavam viver em paz.
Deus o levou e evitou que ele sofresse,e vcs também.
Bjssssss,
Leninha

Vanessa disse...

Nik, só quem já perdeu o pai sabe a dor que é ele tendo sido bom ou não, a dor é a mesma. Perdi meu pai a um ano e sei exatamente o que é isso.
Bjsss

Telma disse...

Nossa Nikita! Nunca imaginei que por trás desse blog lindo e dessa blogueira delicada e maravilhosa,vc havia passado por isso. Te entendo,pq amo meu pai e n sei o q seria de mim sem ele. Olha fofa fica bem e fica em paz pq vc é muito linda,dedicada,maravilhosa e a melhor blogueira do mundo.

Mil Beijos!!!

viver fazendo artes disse...

Oi florzinha! Me emocionei ao ler a sua história de vida.Lembrei do meu pai, ele também já se foi,e não importa quanto tempo passe, as lembranças ficam bem nítidas dentro da gente.Deus sempre sabe mesmo oq faz, certamente foi o melhor pra todos vcs.Que o Espírito de Deus console sempre seu doce coração, te dando a paz que nada nem ninguém pode dar.
Um forte abraço!

Inês Andrade disse...

Oi Nikita.Qquer tipo de vício é terrivel mesmo.Também perdi meu pai há 26 anos atráz, ele foi uma das vítimas do cigarro e me faz muita falta, sinto muita saudades dele tb.Hj só peço a DEUS que dê vida longa a minha mãe que graças a DEUS não tem nenhum vício.Bjimmmm

Lista de Blogs:

Meu maior tesouro: Família!

Minha shihtzu:

PitaPata - Personal picturePitaPata Dog tickers

Recadinhos:

Tecnologia do Blogger.